quinta-feira, 28 de julho de 2011

3 Tag: Dia de texto!


Hoje cheguei em casa e na hora do almoço minha mãe perguntou como foi minha manhã na escola...
Respondi pra ela que os mesmos momentos doces, comédia, alegres, terapia, encantadores que passamos com meu sobrinho de 8 anos, passo com meus alunos de idades semelhantes, entre 6 a 8 anos...
São momentos mágicos: mistura de criança sapeca com professora brava, professora palhaça, pedagogenta, pedagotia, cantora de banheiro, contadora de histórias da carochinha, atriz sonâmbula... Professora meio mãe sim, pois criança pede cuidados maternos, além dos pedagógicos. Profissionalismo sim, sem deixar a ternura, a amizade, o senso coletivo, os sentimentos mais nobres de lado...
Depois de responder a pergunta de minha mãe ainda fiquei mais contente de lembrar que aprendi o que sei com ela... A quadrilha dela tinha 3 noivinhas, acreditem! 

Planejar é fundamental. Professor pesquisador e estudioso sempre. Ciência da Educação, necessária.
Conhecer as origens, a História, minha paixão.
Mas "quebrar o protocolo" nem que seja por 10 minutos, também faz parte do "fazer docente"...
Exatamente porque "navegar é preciso, viver não é preciso"... (Fernando Pessoa)

Vejam na foto: Quem é essa fofucha coisamaislinda!?
Ela sou eu e você. Ou pelo menos "fomos". Ela é minha aluna, meu aluno... Meu sobrinho...
Criança. Que fase dura. Tantas dúvidas, curiosidades, vontade de soltar pipa na hora da aula...
Vontade de "bater cartinhas do Rebeldes"... Jogar Uno, comer chicletes, terminar de comer na sala de aula aquela bolacha Maria sem a professora ver... Brincar de carrinho escondidinho, depois que fez a lição.
E ter que ouvir tantos "nãos"... 
Sou defensora dos limites sim. Ouvir a palavra "não" constrói um bom caráter, senso de realidade. Ôpa! Liberar tudo estraga mesmo.
Mas hoje, aqui, agora, chamo a atenção para o tempo curto da vida, o tempo curto da infância... Cadê nossas crianças? Cadê as cinco marias, amarelinha, casinha, escolinha, teatro improvisado? Só se fala em tênis de marca, que acende, apaga, estressa, games, brinquedos mais caros que um computador, cursos que ensinam  a falar "javanês" e no fim do dia... "Vai dormir muleeequeee que amanhã tem que acordar cedo pra escola!!!"

Quer ver uma experiência rica? Contar histórias de maneiras diferentes: subi na cadeira hoje! Subi! E coloquei na lousa notas para o conto, para os ALUNOS avaliarem o conto. Afinal, gosto é que nem nariz, cada um tem o seu oras! Faça vozes diferentes, esganiçadas... Diversão garantida!
E meus fofuchos mandaram ver! Eles interagem nas histórias, dramatizam, vibram comigo, dão risada, ah risadas... Receber isso é muito gratificante. 

O que será do futuro deles? A Deus pertence. Mas cuidar do HOJE é muito importante.
Pois num abrir e fechar de olhos... A fofucha completa 27 anos, 33, 43, 52, 64...99.

Já brincou hoje? Ainda dá tempo! Tente bater umas cartinhas no sofá que é mais macio pra um adulto ne, e me conte se não é um sarro! 

kkkkkkkkkkkkk

Beijos reflexivos para todos!

Suzue

Imagem: Reprodução, Amy Winehouse criança

3 comentários:

  1. é sempre bom se divertir!
    bom fds
    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Querida, foi exatamente isso que a dona da Apoena falou: aos poucos, querem acabar com a infância... a simplicidade perdeu lugar para a tecnologia! É triste constatar que as escolas não sabem nem contar estorinhas para os pequenos...

    ResponderExcluir
  3. Suzueeeeee meus olhinhos encheram-se de lágrimas, sua malvada.
    Que lindo, amei tudinho, cada vírgula, voltei lá aos meus 7, 8, 9 anos. Que saudades!
    O tempo não para e não perdoa amiga. Fiquei orgulhosa de você agora, por saber que você tenta fazer das suas crianças, bons adultos no futuro. O mundo se perdeu tentando se achar na tecnologia... É da vida néam?
    Sua linda, quer ser minha pró? rss!
    Beijocas

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário!